Sócio da GH3 é notícia no IFSC

Sócio da GH3 é notícia no IFSC

Sócio da GH3 é notícia no IFSC

IFSC é contemplado em programas da Fapesc

No inicio deste mês, a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) anunciou os empreendedores selecionados na terceira edição do programa Sinapse da Inovação, que serve para transformar ideias inovadoras em negócios, e também no programaApoio à Infraestrutura de Ciência, Tecnologia & Informação para Jovens Pesquisadores. Entre os contemplados estão um professor, um técnico-administrativo e um ex-aluno do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC). A reitora do IFSC, Maria Clara Kascnhy Schneider e o pró-reitor de Extensão e Relações Externas, Golberi de Salvador Ferreira, prestigiaram a cerimônia de entrega de recursos realizada em 2 de agosto em Florianópolis.

Entre os projetos selecionados estão os do técnico-administrativo do Campus São José, Rodrigo Neri de Souza; do professor Flábio Alberto Bardemaket Batista, do Campus Florianópolis e do ex-aluno do Campus Florianópolis, Luís Fernando Garcia. O projeto Laboratório de Pesquisa em Processamento Eletrônico de Energia (LPEE), desenvolvido no Departamento de Eletrônica do Campus Florianópolis, foi contemplado com recursos na ordem de R$ 57.989,40 da Fapesc, por meio do Programa para Jovens Pesquisadores, que devem ser investidos ao longo de dois anos. Coordenado pelo professor Flábio, o projeto prevê a aquisição de equipamentos e montagem de infraestrutura inicial para um laboratório de pesquisa e iniciação científica em processamento eletrônico de energia.

De acordo com o professor, a finalidade do laboratório será a realização de atividades de pesquisa e iniciação científica nas áreas de processamento eletrônico de energia e energias renováveis, além de atividades acadêmicas complementares ao ensino. “Queremos permitir que estudantes dos cursos de nível médio, de graduação e pós-graduação do Campus Florianópolis possam realizar atividades de pesquisa e iniciação científica nas áreas de processamento eletrônico de energia e energias renováveis, bem como atividades complementares ao ensino, tais como no desenvolvimento de trabalhos de conclusão de curso e projetos integradores na área de eletrônica de potencia e suas aplicações”, destaca.

O ex-aluno do IFSC, Luís, teve seu projeto “Ambiente – Desenvolvimento de Projetos para Empresas Nascentes ou Micro e Pequenas Empresas” aprovado no programa  Sinapse da Inovação. “A proposta é atuar em parceria com o cliente, desenvolvendo soluções eletrônicas a preço de custo”, conta. De acordo com Luís, essas soluções são parte de novos produtos e se combinam com outras partes, como gabinetes, mecânica ou se comunicam com softwares. “Dessa forma, os nossos parceiros desembolsam menos recursos financeiros, podendo investir em outras partes da empresa como marketing para venda das novas soluções desenvolvidas”, explica.

Luís é técnico em Eletrônica, tecnólogo em Sistemas Eletrônicos e especialista em Desenvolvimento de Produtos Eletrônicos. Atualmente é um dos sócios da empresa Lógica E. Para o profissional que estudou no IFSC, sua formação foi fundamental para suas conquistas. “O que fazemos na Lógica E nada mais é do que a aplicação das competências repassadas em sala de aula pelos professores, desde a parte técnica, fundamental para a elaboração de uma proposta comercial, para o desenvolvimento de produtos de qualidade e entregas no prazo estimado a parte administrativa/gestão, como o empreendedorismo, as metodologias e outras”, diz.

 

O técnico-administrativo Rodrigo Neri de Souza foi outro contemplado no programa Sinapse da Inovação. O projeto “Câmera de Teleconferência Inteligente” tem como objetivo rastrear automaticamente e enquadrar o participante de uma videoconferência que estiver falando, sem precisar de alguém para operar a câmera.

Essa foi a primeira vez que Rodrigo participou do Sinapse da Inovação. “Graças a esse programa nós saímos da inércia. Passamos da vontade de desenvolver um produto e botamos a mão na massa – ou a mão no papel, mais propriamente dito – pesquisando sobre o assunto e desenvolvendo um bom projeto. Prova disso é que fomos contemplados”, declara.

A reitora do IFSC destaca que a presença de servidores e de um ex-aluno do IFSC nesse programa demonstra o reconhecimento do Instituto. “Foi um orgulho nos ver presentes por meio desses três contemplados em importantes programas. Temos que fortalecer cada vez mais nossa participação em iniciativas como essas”, afirmou.

Sobre os programas

Criado em 2008, o programa Sinapse da Inovação já apoiou o surgimento de 118 novas empresas catarinenses, com investimento de R$ 5,5 milhões até o momento. Neste ano, a iniciativa reconheceu 100 conceitos inovadores.

Todos os finalistas receberam R$ 50 mil, na forma de subvenção econômica, por meio do Governo do Estado, e em capacitação e consultoria tecnológica, numa parceria com o Sebrae/SC para viabilizarem suas ideias em produtos.

Os selecionados terão agora oito meses para viabilizarem um protótipo comercializável do produto e estabelecerem as estratégias do novo empreendimento. A pré-incubação das empresas recém-criadas será feita pela Fundação Certi (Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras), que também executa o programa desde o seu início.

Pelo programa Apoio à Infraestrutura de Ciência, Tecnologia & Informação para Jovens Pesquisadores, foram aprovadas 40 propostas, contemplando 14 instituições de todo o estado. O investimento no programa é de R$ 2,2 milhões, provenientes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Fapesc.

O programa viabiliza a instalação, modernização, ampliação ou recuperação da infraestrutura de pesquisa científica e tecnológica em instituições catarinenses de ensino e pesquisa, visando dar suporte à fixação de jovens pesquisadores e nucleação de novos grupos.

Com informações e fotos da Secretaria de Estado de Comunicação

FONTE: IFSC